Excursões em Marrakech

Se você já fez as visitas típicas de Marrakech, não pode perder a riqueza paisagística e cultural que reina fora da Medina.

Algumas das excursões imprescindíveis são:

Excursões de um dia

Cascatas de Ouzoud

Situadas a 150 quilômetros de Marrakech, as cascatas de Ouzoud são as cascatas mais importantes do norte da África. Saiba mais.

Essaouira

Essaouira é uma pequena cidade banhada pelo atlântico situada 200 quilômetros a oeste de Marrakech. Saiba o que visitar e como ir de Marrakech.

Vale do Ourika

A excursão ao Vale do Ourika é uma das mais comuns em Marrakech. Percorrendo o curso do rio Ourika você poderá admirar a paisagem do Alto Atlas.

Ouarzazate

Ouarzazate é uma cidade situada 200 quilômetros a sudoeste de Marrakech. É mundialmente conhecida por seus estúdios de cinema e suas kasbahs (cidades fortificadas).

Excursões de vários dias

Deserto de Marrakech

O Deserto do Saara é a zona árida mais extensa do mundo. Conheça Zagora e Merzouga, as duas portas de Marrakech ao deserto.

Como fazer as excursões?

Reservar um tour organizado

A opção mais prática e recomendável de fazer excursões é reservá-las de forma antecipada e não se preocupar com nada. Em Tudo Sobre Marrakech, você pode reservar tours com veículos de qualidade e motoristas que falam português. Além disso, se você quer viajar com seu companheiro (a), família ou um grupo grande, todos os tours podem ser feitos de forma privada.

Outras opções

  • Alugar um carro: Além do risco e da dificuldade de dirigir em Marrocos, há muitos policiais corruptos e o passeio pode acabar saindo caro. É bastante provável que em algum ponto da viagem você seja parado em alguma blitz. 
  • Procurar agências de tours perto da praça: Se você chegar sem nada reservado, você pode ir às agências locais perto da praça. O problema é que esses tours costumam ser em vários idiomas, com veículos grandes e antigos. Por outro lado, costumam ser bastante econômicos.
  • Contratar um táxi para o dia todo: Esta é a opção escolhida por muitas pessoas que querem economizar ao máximo. O principal problema é que os condutores não costumam falar português (alguns não falam nem inglês), os carros normalmente são bastante antigos e os motoristas dirigem de maneira temerária.